domingo, 9 de março de 2014

Economia 2014 Governo X Empresas

A economia brasileira se vê atacada pelo mundo nos dias de hoje. Agencias internacionais de risco apontam o Brasil como e segundo país mais suceptível a uma nova crise econômica. Perdemos apenas da Turquia!
Mas será que nosso país está tão ruim assim? Onde estamos errando?
Quando escutamos meus colegas economistas discutirem eles se colocam em dois grupos distintos, os que defendem o governo e os que são contra o governo.
Se olharmos nosso principais índices econômicos estamos  na média mundial. Média mundial que está passando por uma crise seja na Europa seja nos Estados Unidos. A expectativa no Brasil que "decolou"nos anos 2007 - 2010 era que mantivessem crescimento anual acima da media mundial, no mínimo patamares de 3 a 5% ao ano. Pois temos ingredientes para manutenção deste patamar de crescimento, mercado interno continental e oportunidades de investimento de infra estrutura, são exemplos de áreas que catalisariam este crescimento!
Por que então se temos recursos naturais em sobra (18% da água potável do planeta por exemplo) e não conseguimos garantir nosso voo em meio a crise mundial!
Se olharmos nossas reservas cambiais vemos que o Brasil está muito melhor do que estava como capacidade de pagamento, porem se fizermos uma analise qualitativa de nossa economia vemos que o verdadeiro problema brasileiro é a forma que se trata o investimento privado.
Instituições fracas que não se sustentam pela vontade política e um ambiente de corrupção  são ingredientes que inibem o desenvolvimento e a distribuição de renda.
O agente empresa gera salário para as famílias e tributos para o governo. São fontes de consumo e gasto publico.
Na minha opinião como economista e empresário só conseguimos uma melhor justiça social através do fortalecimento dos setores produtivos.
O Brasil é um país que pune quem produz, uma legislação tributária tão confusa que nem contratando o melhor escritório de contabilidade do país o mesmo não lhe garante uma segurança que quando um fiscal vá a sua empresa você por mais boa fé que possui esteja correto.
Pagamos os juros mais caro do mundo, dinheiro que poderia ser divido entre a sociedade através de mais investimento e sustentabilidade para as empresas brasileiras.
Com o novo aumento da selic (taxa básica de juros definida pelo banco central) novamente vemos um cenário de aperto de crédito pois o banqueiro ao invés de emprestar para o setor produtivo empresta para o governo que quando gasta mais que devia passa a fatura para as empresas através de mais impostos.
Hoje se uma pessoa compra um produto passa um cheque sem fundo para o comerciante, o empresário além de ficar com o prejuízo anos e anos a vezes até vendo o estilionatário em sua frente de carro novo, não possui arcabouço jurídico e legal que faça com que ele receba o calote e o governo pasmem obriga o empresário a recolher o imposto da venda que ele não recebeu sob pena de uma multa que pode chegar 20% em poucos dias de atraso.
Enquanto estivermos em um país que o governo e muitos trabalhadores souberem apenas dos direitos e rasgarem os deveres não teremos um país que tenha um ambiente propício ao desenvolvimento.

até o próximo post

Leonardo Baldez Augusto
Economista - Consultor de Investimento
Delegado do CORECON - MG
email: leonardo@baldez.com.br
www.baldez.com.br


 Skype: leonardo.baldez.augusto

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

PSI - Financiamento de Máquinas e Equipamentos foi prorrogado em 2014 agora com taxa de 4,5% a 6% aa

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) prorrogou em 2014, para alegria do setor produtivo o financiamento de equipamentos novos criado pós crise de 2008 chamado PSI. Este é um financiamento com taxas de juros em 2014 fixa de 6% ao ano. Para falarmos de um inflação de quase 6% aa.. Estamos falando de taxa de juros reais iguais a ZERO isto considerando a taxa para grande empresa. Veja abaixo as condições:
A taxa do financiamento a máquinas e equipamentos para pequenas e médias empresas passará a 4,5 por cento, ante 3,5 por cento, sendo que para as grandes empresas subirá para 6 por cento. Nessa modalidade, o financiamento continua em 100 por cento para pequenas e médias companhias, mas cai para 80 por cento para grandes empresas. Até então, esse teto era de 90 por cento.


Já os juros para aquisição de caminhões e ônibus subirá para 6 por cento, ante 4 por cento, com os níveis de financiamento baixando para 90 por cento às pequenas e médias empresas e para 80 por cento às grandes, ante 100 e 90 por cento, respectivamente.

É uma boa oportunidade para quem pretende adquirir novas máquinas com carencia que pode chegar a 2 anos e prazo de pagamento final de 10 anos.

Quem tiver interesse ligue para o ISF e marque uma visita com nossos consultores.

Até o outro post.

leonardo@baldez.com.br
34 3292 5200

domingo, 9 de junho de 2013

Dicas sobre sites que lhe ajudam no Planejamento Financeiro


Olá leitores do meu blog. Esta semana encontrei um link que copio na integra abaixo. São dicas e sites extraído da Isto é Dinheiro, que contribuem para educação financeira e o verdadeiro desafio de mudança de hábito na formação de investidores.
Vale a pena dar uma passeada por lá.

Aproveite.


 Alguns sites que dão dicas simples que podem ajudá-lo a colocar suas finanças em ordem e investir seu dinheiro da melhor forma.  

MULHER-GASTOS-CARTAO-1.jpg

A falta de planejamento é o grande vilão das finanças pessoais e é a principal razão que leva muitas pessoas a entrar no vermelho. Com a má administração do dinheiro, os gastos passam da conta, as dívidas acumulam e os desejos de reformar a casa, comprar um carro novo ou viajar vão ficando cada vez mais distantes. Nessa situação, fica impossível poupar ou investir. DINHEIRO reuniu alguns sites que podem ajudá-lo a colocar sua vida financeira em ordem.  
Eu Planejo 360°  - www.euplanejo360.com.br
 
euplanejo360.jpgO Eu Planejo 360° é um portal que tem o objetivo de conversar de forma descomplicada sobre planejamento financeiro. Os conteúdos partem de temas do dia a dia das finanças pessoais e buscam dar opções para que as pessoas consigam realizar seus projetos.
 
 
 
 
O site oferece: 1. O "Simulador dos sonhos", que projeta soluções financeiras para ter uma aposentadoria mais tranquila, comprar um imóvel, montar um negócio próprio, produzir grandes festas (casamento, 15 anos, aniversários em geral), fazer um intercâmbio ou curso de especialização, ter independência financeira, organizar as contas de família, entre outros. 2. O Tema da semana é colocado em pauta. Especialistas de mercado esclarecem assuntos que precisam de informações mais aprofundadas. Os assuntos são divididos em cinco capítulos atualizados diariamente (exemplo: Lei das Domésticas, custo benefício, consórcios, imposto de renda, entre outros); 3. Fique por dentro: artigos, vídeos, entrevistas e curiosidades sobre temas diversos, como os direitos do consumidor; 4O site dá dicas de planejamentopara facilitar o dia a dia do usuário, como quitar as dívidas.
 
Konkero - www.konkero.com.br
 
konkero1.jpg
 
 
Com informações simples e de maneira divertida, o portal ajuda o usuário a entender e administrar as finanças pessoais e se planejar antes de comprar uma casa, um carro ou viajar. Há dicas práticas de como negociar dívidas, organizar os gastos, economizar e como ganhar mais dinheiro. 
 
Bidu - www.bidu.com.br 
 
bidu.jpg
 
 
O site Bidu é um e-commerce de seguros e serviços financeiros, com uma plataforma que possibilita a cotação do seguro de automóveis em até 30 segundos, comparação de preços e serviços associados e contratação do seguro de sua escolha, tudo 100% on-line. Além de seguros para automóveis, o Bidu oferece cartões de crédito, consórcios de veículos e imóveis e, em breve, disponibilizará a comparação e venda de seguros de vida, residência, viagem, aparelhos portáteis e seguros pet. 
 
Organizze - www.organizze.com.br
 
 
 organizze.jpg
 
 
O Organizze é um sistema online para o controle das finanças pessoais e de empresas. O site tem uma ferramenta que possibilita o lançamento de despesas e receitas em uma planilha. Com informações organizadas é mais fácil saber para onde exatamente está indo o dinheiro. É possível criar parcelamentos e ser lembrado de contas a pagar pelo e-mail. O Organizze é totalmente online e pode ser acessado de computador ou celular. 
 
 Espero que gostem
 baldez@isfcredito.com.br

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Está perdido com as contas??? Aprenda o caminho para sair...


Na edição passada, destaquei a importância do planejamento financeiro, falamos do conceito de riqueza e propus um desafio de seguirmos juntos ao desafio da independência financeira.
Inicio esta edição com um convite. Todas as quintas feiras na rádio universitária as 11:30 ganhei um espaço para falarmos de educação financeira. Você que gostaria de conhecer mais do mundo das finanças para aprender a gerir seu dinheiro melhor, é convidado para acompanhar nossos programas.
Convite feito, mãos a obra! Hoje iniciaremos nosso de planejamento financeiro. Como todo planejamento a primeira definição que temos que fazer é o nosso objetivo. Para onde vamos??? O que queremos da nossa vida financeira? Algumas pessoas desejarão pagar as dívidas, outras comprar um carro novo ou mesmo adquirir a casa própria!
Para cada objetivo temos um caminho diferente. Mas saber para onde vamos parece uma tarefa simples. Porém muitos projetos dão errado pois não temos como foco nosso objetivo.
É como uma bússola para nos guiar, todas nossas ações devem ter consonância com nosso objetivo para que sejamos vitoriosos em nosso desafio. Vale plagiar a velha frase de palestrantes, de autor desconhecido, que um barco sem rumo qualquer porto está bom. Tipo a filosofia do Zeca Pagodinho “Deixa a vida me levar”. Assim infelizmente são os projetos da maioria das pessoas e empresas. Desta forma ficamos a mercer  da sorte e como não temos objetivo gastamos de forma impulsiva e não poupamos para nosso objetivo seja ele qual for. Sugiro que você pegue, seu computador, agenda ou caderneta e faça um contrato consigo mesmo. Para e pense, não deixe este exercício só para a virada do ano, escreva um objetivo de curto prazo e um de longo prazo. Curto prazo seria o que você que para o prazo de 1 ano. Exemplo quem está com o nome sujo, quer se livrar da dívida, comprar um computador ou um carro. Você irá colocar no papel, a marca do produto e o preço de hoje.
Depois pensaremos no longo prazo, o que você gostaria de conquistar? Fazer um poupança para aposentadoria, comprar uma casa, se tornar milionário! Longo prazo é uma conquista para os próximo 5 ou 10 anos. Este desafio pode parecer difícil de alcançar, mas se começarmos a planejarmos hoje vamos transforma lo em realidade. Bom no artigo de hoje focaremos em nosso objetivo. Aproveito e deixo o site do isf crédito para consultas sobre o tema de finanças pessoais e meu email para trocarmos dúvidas sobre seus objetivos. Até a próxima!

Leonardo Baldez Augusto
Economista – Consultor de Investimento

baldez@isfcredito.com.br

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

ISF estrutura ampliação da CALU em Uberlândia R$ 36 milhões em investimento


Foi realizada  a assinatura do protocolo de intenção de investimento entre o governo do Estado e a Calu (Cooperativa Agropecuária e Lacticínio de Uberlandia). O investimento se inicia este ano, será financiado por um consórcio de bancos capitaneado pelo BDMG. O total investido em construção, aquisição de máquinas e equipamentos e capital de giro é da ordem de R$ 36 milhões. 
As obras deverão iniciar no primeiro semestre de 2013, a Calu irá triplicar sua capacidade de processamento de leite de 100 mil litros dia, para 300 mil litros dia,  aumentando a capacidade de produção de manteiga, iogurtes e da industria de queijo, o novo investimento contempla a industrialização de doce de leite e de queijos finos.
Estiveram presentes na solenidade em Belo Horizonte, Paulo Romes Junqueira, secretário de desenvolvimento de Uberlandia, representando o prefeito Gilmar Machado, o Diretor do INDI Dilson Dalpiaz, o Gerente de divisão do BDMG Flávio Furlan,o economista  Leonardo Baldez Augusto do ISF que estruturou a operação de crédito o Vice presidente do INDI João Carlos Vitor Garcia, além do Cenyldes Presidente da Calu, Francisco Vice presidente e Vicente do Conselho.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

PSI - BNDES aumenta Juros acompanhe em primeira mão





Brasília – Os juros para algumas linhas de crédito do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) serão reajustados a partir do próximo ano para permitir que o sistema financeiro empreste os recursos, explicou o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. Segundo ele, foi necessário aumentar as taxas de três linhas para que os bancos possam emprestar a micro e pequenas empresas.
De acordo com Coutinho, os bancos não estavam conseguindo acomodar a diferença entre os juros cobrados dos tomadores e as taxas que eles pagam para atrair recursos dos correntistas em três linhas do PSI: financiamento de caminhões, Finame (Programa de Financiamento de Máquinas e Equipamentos) e o Procaminhoneiro (que financia a compra de caminhões por pessoas físicas e pequenas empresas). As taxas dessas linhas, atualmente em 2,5% ao ano, passarão para 3% ao ano no primeiro semestre de 2013 e 3,5% ao ano no segundo semestre.
“Detectamos que alguns bancos não queriam emprestar para pequenas empresas porque o spread [diferença entre a taxa de captação de dinheiro pelo banco e a cobrada dos clientes] bancário era pequeno. Não adianta reduzir o spread e não ter oferta de crédito”, explicou Coutinho. Ele, no entanto, ressaltou que, na média, os juros dessas linhas em 2013 serão menores que as deste ano porque as taxas só foram reduzidas em setembro.
Para as demais linhas de crédito de financiamento de bens de capital, as taxas serão diminuídas. Os juros variavam de 5,5% a 4% ao ano e cairão para 3% ao ano a partir de janeiro. Os financiamentos de exportações de bens de capital, cujas taxas são de 7% ao ano para pequenas e médias empresas e 8% para as grandes empresas, terão os juros reduzidos para 5,5% ao ano.
Hoje, Mantega e Coutinho anunciaram o orçamento do PSI em 2013. No total, o programa contará com R$ 100 bilhões em linhas de crédito em 2013 para financiar a compra de bens de capital (máquinas e equipamentos usados na produção) e investimentos em inovação e tecnologia. O governo também anunciou a redução da taxa de juros de longo prazo (TJLP) de 5,5% para 5% ao ano a partir de janeiro.
O PSI trará ainda algumas novidades no próximo ano. O programa passará a financiar a aquisição de equipamentos rurais (tratores, colheitadeiras e implementos agrícolas). Além disso, as empresas também poderão usar os recursos do programa para contratar operações de leasing nas linhas de bens de capital e veículos. Em vez de pegar crédito para comprar esses equipamentos, os tomadores poderão contrair empréstimos para alugá-los.
Fonte: Exame 

domingo, 2 de dezembro de 2012

PARA QUE FICAR RICO???


Na publicação passada, destaquei a importância do planejamento financeiro para iniciar uma vida estabilizada. Agora, começarei a apontar os caminhos para garantir uma vida tranquila por meio da educação financeira. Em todas as minhas palestras sobre finanças pessoais, ressalto a necessidade de saber lidar com o dinheiro.  
Ganhar dinheiro não é crime. O essencial é saber utilizá-lo bem. Conceitos econômicos e de administração serão repassados artigo por artigo, para que sejam facilmente assimilados e, assim, você possa se tornar gestor do seu próprio destino e ser capaz de ficar rico.  
Aliás, o conceito de riqueza é bastante divergente. Para mim, rico é quem possui patrimônio para que, mesmo sem trabalhar, consiga pagar suas contas. Se levarmos essa ideia ao pé da letra, como temos necessidades diferentes, para cada um de nós a riqueza poderá ser alcançada no curto ou longo prazo. Mas todos podem alcançá-la. E para que acumulamos patrimônio - seja o que chamamos de patrimônio financeiro (aplicações, ações, poupança) ou patrimônio econômico (imóveis para locação, empresas)? Para comprar bens materiais dos sonhos? Aquela casa, aquele carro? Também. Mas, principalmente, para comprar o bem mais perecível que existe: o tempo. Ser rico, com tranquilidade, é ter o controle do seu tempo; é poder se dar ao luxo de não trabalhar, pois seu dinheiro trabalha enquanto você fica mais com a família ou passa a se cuidar melhor.
Nas próximas edições, darei dicas para você atingir este objetivo. A primeira questão: “Como chegar a este mundo tão distante se não consigo controlar meus gastos”? Você gasta mais do que ganha? Até para quem está nesta situação existe uma saída e um caminho para a prosperidade- acredite.
O primeiro passo é aprender a equilibrar as finanças. O segundo é poupar parte do que ganha. Em seguida, entender formas e produtos de investimento e, finalmente, cumprir objetivos de sonhos e aumentar o patrimônio. Espero que goste do desafio. Até a próxima!

Leonardo Baldez Augusto
Economista – Consultor de Investimento

baldez@isfcredito.com.br